BLOG NOVO: CONTOS DO ICAL

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Carlos Drummond de Andrade

Universo - Acho o mundo tão lindo - Jorge da Paixão



Universo
 Jorge da Paixão

O Universo é uma imensidão,
e a Terra uma esfera:
Em rotação e translação,
o futuro lhe espera !

O Sol a vida produz.
Da Natureza é o viveiro:
Com sua misteriosa luz,
ilumina o mundo inteiro...

A Lua é uma dama divina,
ouvindo juras de amor...
Lá no alto da colina,
de um poeta sonhador !

O Mar é uma rica poesia...
Mergulhada na profundeza !
Declamada noite e dia,
pela nobre Natureza...


Acho o mundo tão lindo
Jorge da Paixão

A primavera para a vida,
feliz chega sorrindo...
E o inverno em despedida,
com saudade vai saindo !

A pétala de uma rosa,
é componente de uma flor...
Divina, maravilhosa,
mensageira do amor...

Meu coração é um jardim,
de esperança a florescer:
Brota o amor dentro de mim,
para eu te oferecer...

Um amor pertinente,
que futuca meu coração...
cheio de esperança e envolvente,
a me dar inspiração...

O mundo acho tão lindo,
quando olho da janela...
E lá no jardim vejo sorrindo,
a linda rosa amarela...

Sinto uma esperança tão pura,
neste amor que te ofereço:
Ele é repleto de ternura,

tão profundo e não tem preço !...


Relógio de Pêndulo - Contos da Meia Noite - TV Cultura

Contos da Meia Noite - Diário de Amor de um Moço Delicado

O Verdadeiro amor - Jorge da Paixão



O Verdadeiro amor
 Jorge da Paixão

"Deus" quando fez o mundo, inventou o Paraíso, e para nele habitar, fez o Homem e a Mulher, para que através da união fortalecida de  amor construírem um lar repleto de paz e felicidade.

O amor é dividido em dois polos: O amor fraterno e o amor sentimental.

O amor sentimental é igual a um ímã que atrai dois corações, englobando-lhes em um só!

A sublimidade do amor eu não sei nem explicar a essência do seu conteúdo, mas sinto-o habitar dentro do meu singelo coração. A ternura é a sua moldura, a esperança é a sua luz, e a fidelidade a sua estrutura.

Como é maravilhoso amar e ser correspondido nessa maravilha da vida.


Vamos lapidar cada vez mais nossos corações para ele merecer ser digno de um verdadeiro amor?

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Dinah Choichit - O bom humor na história



Dinah Choichit 











Eliana Dau Pelloni - A espiritualidade nos contos


Eliana Dau Pelloni




NO REINO DE KELULARES NET
Eliana Dau Pelloni


Um menino apareceu no Reino dos Kelulares  Net contando uma história a todos que encontrava. Uma hora dizia que queria ler, mas não tinha dinheiro para comprar livros. Outra hora tinha livros, mas veio uma enchente  molhou todos eles. Outra hora seus óculos se quebraram. Outra hora perdeu o dia em filas. Outro dia ficou parado no trânsito ao tomar uma condução. Outra hora a televisão da vizinha estava alta não o deixava ler... E enquanto o povo escutava a história do menino deixava todas as tolices, o supérfluo de lado, e começaram a ler. Com isso foram ficando mais inteligentes, evoluídos não aceitando por um tempo nem tiranias, nem despotismo dos governantes.

Vendaram os olhos e a boca do menino, e um dia ele sumiu. Alguém achou suas vendas caídas no chão.

Viu-se um pássaro Azul lindo voando no céu e disseram: esse pássaro tem alguma ligação com aquele menino.

Esse menino chama-se o despertar da consciência. O povo sem motivação e sem mestre continuou com a consciência adormecida e acabaram todos com os olhos vendados.

Uma placa luminosa apareceu na cidade com uma frase de Jean Paul Sartre “Aos dominados só resta a condição dos Ecos

Mais que nunca é preciso pensar, e ponderar...    





SEU APELIDO É... NÃOSIM
ELIANA DAU PELLONI

 O nome dele só dizia nãosim cansava todo mundo, pois usava na sua comunicação só a mesma figura de linguagem ninguém o suportava mais e nem entendiam direito o seu nome.
Ia comprar doce na Padaria Mangia Que Te Fá Bene e dizia ao gerente o senhor não é nada convincente, acabei comprando 40 tortinhas de morango, 100 bombas de chocolate,  o gerente irritado e você não é nada bobo e glutão. Ao seu melhor amigo você passa os dias surfando. Não é nada surfista o amigo e você não é nada intrometido.
Com sua prima você não gosta nada do Egito tem fotos do Faraó Tutancâmon, da Rainha Nefertiti, gosta da Cleópatra a prima e você não é nada observador com sua mulher você não é nenhuma  executiva fala 6 idiomas, trabalha numa multinacional passa os dias no escritório
E só vem em casa para jantar. A mulher e você não e nada folgado.
O vizinho esse é o meu 10º casamento ele  e você não é nenhum sheik. O vizinho sou como você não gosto  de mulheres.
Certo dia em uma livraria mantendo uma conversa com um senhor esse lhe disse eu sou capaz de ganhar vários prêmios literários, ele replica o senhor não é nada modesto e você não é nenhum estranho para mim replica o senhor.
Recebeu um cartão postal de uma vizinha a Elizabeth que estava na França esta lhe dizia vou lhe mandar a Torre Eiffel pelo correio em felicidades nacionais e importada ele  pois essa vizinha não é nada exagerada eu lhe enviarei outro postal com um abraço maior que a Floresta da Tijuca.
Certo dia encontrou-se  com uma ex-namorada ela lhe disse você foi lindo como o Alain Delon isso quando ele era jovem: ele é eu não era nada feio.
Ele vivia na mesmice e só usava uma única figura de linguagem  olhou-se no espelho e escutou uma voz simnão  seu apelido é LITOTE foi assim que ele resolveu usar a sinestesia e suas mãos acordaram, seus olhos emitiram uma nova flagrância ocultando talvez um novo ser.
Passou a sentir o gosto da vida escutando novas ideias saindo do comum deixou também de ser chato tentando sair da cristalização.
Voltou a Padaria Mangia Que Te Fá Bene pediu um bolo prestigio com sabor de Noites Calientes e Mãos de Fada Celestial olhou para o gerente
Não me chame de sinestésico! Quase caio na tentação livrai-me também das metáforas! Céus!

OBS: Poderia colocar  :Aula de sinestesia, figuras de palavras  e Litote, dada na Oficina Ideias e Ideais.






O CORAÇÃO TEM NEURÔNIOS
ELIANA DAU PELLONI

Como os vinhos da boa cepa o real na medida da maturidade.
Observação e de campo para florescer livremente.
A mente que precisa tudo assimilar, tudo ver e sentir e através da intuição, perceber pela 3ª visão, lapidando as diversas experiências do ser, dos seres, do mundo, criar suas obras primas.
Longa caminhada adoráveis e dolorosas vivências, o equilíbrio.
Períodos escuros, luminosos a luminosidade perdura.
O enclausuramento,  o encasalamento,  a vida contemplativa, a vida super ativa.
Após o contato com as criaturas os mais diversos, a operação alquímica  de transformar todo esse chumbo vil em ouro puro.
Eu deixo o sol entrar e o ar puro fluir do meu próprio interior.
A dolorosa, a lenta operação a criadora, apreciar o casulo de que saiu a crisalida.
O criador que se faz criatura que brilha que escreve com seu campo de força seu eu fluídico eterico.
Que existe para a emoção.
Faço o que quero por que tenho saúde e liberdade e a consciência desperta e tranquiliza.
Estou lucida sem perder o meu lado humano sou saudável o suficiente para não precisar de violência.
E a sabedoria milenar de estar acima do bem e do mal, ser justa apenas.
 A minha caminhada foi belíssima entre a Biblia Krishnamurtti,Siri Aurobindo. Saint Germain , Humberto Rohden Yogananda, Prentice Mulford e outros. Trago um segredo desvendado em mistérios de quem soube morrer e nascer muitas vezes sem perder a própria essência.
Deus existe êle é a consciência mais elevada que tenho.
Transcendo o espaço da alma e me sinto leve na beleza de voar e meditar nos pensamentos de paz que emito para toda a humanidade.






ESPELHOS E MAIS ESPELHOS
ELIANA DAU PELLONI


Minhas mãos ficam cobertas por violetas “ton sur ton”.
O Universo os assegura e eu faço poemas teatralizados no espelho em coreografias surreais.
Livr0-me de forças insolutivas e da hipnose coletiva.
Voo, viajo, navego, surfo em todas as cores  lilás, azul, prateado, verde e rosa e me enrolo  no meu próprio ser num espaço imensurável de um espelho. Sou eu mesma e reflito olhando-me no espelho sob todas as coisas cavalgando em palavras verdadeiras de todas  as minhas caminhadas, magia das palavras sonoras, contos cromáticos, crônicas sincronizadas.
Viajo muito com o coração e mais olhos  brilham também nessa poetificação.
Rio, choro, canto me emociono, mas, não me espelho no outro.
Desperto a minha consciência.
Envolvo-me na magia do tempo sonoro serena poetizo no espelho do mundo e viajo muito com o coração poetificação da lua, sois, estrelas, satélites, planetas desconhecidos, mistérios da alma a despertar um elevado nível de consciência ( metafisica).
Caminho sobre o azul do éter a brisa leve e leve e suave musicada em cinemascope.
Neutralizo o meu cansaço  abomino todos os ídolos.
Trabalho  a compaixão, descubro o eterno e encontro a preciosidade da alma na fantasia do nirvana e nas cores sagradas dos chakras.
Vejo-me no espelho nas manhãs, tardes, até em visões oníricas. Movimentos de estórias que falam alto.
Peço paz e silêncio meditativos, mas vejo na alegria sonora da pureza que há na gratidão e no amor universal. Vem-me uma mensagem:
Espelho e mais espelhos e mascaras a levar em lentes polarizadas.
Que cada espelho seja limpo com carinho todos os dias no auto-conhecimento e a aura possa ficar clara com o equilíbrio de todos os corpos e se possa ascender na energia que sobe em espiral pela coluna (Kundalini).
O desenrolar do eu verdadeiro do ser saudável
Elinimar a involução para ver o dharma.
O trabalho com as influencias genéticas.
Que os olhos brilhem e a pele brilhe a sabedoria de uma juventude
Não importando a idade que se tem.
Que sejamos lúcidos em paz com o próprio eu, que possamos nos limpar do mal e agradecer os nossos antepassados, para que no funil da lapidação do próprio ser que se banhou na lagoa se ilumine e resplandeça o verdadeiro ser.
A vida é a energia que se condensa em forças múltiplas é o equilíbrio dessas forças interiores em evolução. Como se recebêssemos uma fita magnética onde temos que desenrolar, tempo, espaço, memória cósmica e todas as forças que existem no universo. O fio da navalha, o fio da meada.
Que se tirem todas as vendas e mascaras.
O segredo dos gregos “gnothi seanthon”.
Conhece-te a tí mesmo.  Olho-me no espelho, um azul muito intenso é a cor do éter que pode ser visível a forma plena no ar que respiro.
O éter não esta só nos campos magnéticos, mas no espaço desses muitos espelhos.                    





Suzana da Cunha Lima - Suspense

Suzana da Cunha Lima










Dinah Ribeiro Amorim - Reflexões nos textos

Dinah Ribeiro Amorim










Noêmia Iasz - Desatando nós.

Noêmia Iasz






Jany Patricio - O encantamento nos contos

Jany Patricio









Patricia Iasz - Histórias que encantam.


Patricia Iasz