BLOG NOVO: CONTOS DO ICAL

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Uma menina diferente das outras meninas - Hirtis Lazarin

              
Lilica -Uma menina diferente das outras meninas
Hirtis Lazarin



"LILICA"





Lilica é o nome da menina que vocês vão conhecer agora. Não é a "Lilica Repelica", não. Ela é filha de um casal que tem mais duas crianças: o Leo com dez anos e a Leninha com oito. Formam uma família muito legal e moram na fazenda "Vivenda Feliz".

Quando Lilica nasceu, foi uma festa! Todos aguardavam a sua chegada com muita ansiedade.

No primeiro banho, a mamãe Tereza percebeu um detalhe diferente na barriguinha do recém chegado bebê. Havia uma pinta grande acima do seu umbigo com formato de estrela, uma estrela muito bem desenhada. Dona Tereza chamou a vovó pra ver aquele sinal. Seria Lilica uma criança diferente das outras? Ou não, aquele sinal seria como outro qualquer?

O tempo foi passando... as crianças foram crescendo e Lilica, agora com seis anos, fica cada vez mais graciosa, comunicativa e amiguinha de todas as crianças da fazenda. Ela é a "queridinha" de todos. Na fazenda moram muitas crianças filhas dos colonos, adultos que cuidam das plantações e de todos os trabalhos que vão surgindo por lá.

Lilica tem a pele morena clara, os cabelos compridos pretos e brilhantes que mais parecem uma noie escura com muitas estrelinhas piscando e salpicando o céu; seus olhos são grandes e pretos feito duas jabuticabas pretinhas no pé.

É a fã número um da "Hello Kit". Tudo seu é cor-de-rosa: os lacinhos que prendem e enfeitam seu cabelo, os aneis e pulseirinhas, e até as paredes do seu quarto são forradas de papel rosa comflorzinhas espalhadas. É um encanto!

Lilica é apaixonada pelos animaizinhos. Tem uma poodle, a Cherry, branquinha como flocos de algodão. São inseparáveis. Cherry entende tudo que a menina fala e é tão esperta e danada quanto Lilica.

Lilica é a criança mais destemida do "pedaço". Não tem medo de nada. Nem adianta quando alguma criança quer assustá-la. Ela não dá nem bola... Todos vão à escola num micro-ônibus que passa na fazenda pra pegá-las. Escondido dos pais, Lilica vai a pé todos os dias. Sabe por quê? Porque no caminho vai encontrando animaizinhos e muitos insetos; brinca e conversa com todos eles. Até parece que ela conhece a linguagem dos animais. Já encontrou um sapo a beira da lagoa. Esqueceu da vida. Ficou ali brincando distraída por muito tempo. O sapo gostou das brincadeiras, pulava na água e saía...Pulava e saía... E Lilica fingia que ia pular também, até que de repente ela se lembrou da vida. Saiu correndo em disparada. Chegou atrasada às aulas. Levou bronca da professora.

Outro dia, encontrou um passarinho caído debaixo de uma árvore lá no pomar. Era um bem-te-vi, pois tinha as penas do peito bem amarelinhas. Ele piava um pio triste. Sua asinha direita estava ferida. Levou-o para casa, deu-lhe água e grãozinhos de arroz cru. Com muito cuidado e carinho alisava suas penas, pensando num modo de fazer-lhe um curativo. De repente, como num passe de mágica, a avezinha parou com aquele pio triste, bateu as asas e saiu voando feliz e curado. Desapareceu por entre o arvoredo do pomar, mas Lilica continuou ouvindo por um certo tempo o pássaro cantando: "bem-te-vi...bem-te-vi".

A princípio, Lilica ficou apreensiva perguntando a si mesma o que teria acontecido. Algum milagre? Não contou pra ninguém e com o tempo nem mais se lembrava daquilo. Criança esquece logo as coisas.

Dona Naná é a cozinheira muito querida na fazenda: uma senhora calma, amorosa e de fala mansa. Todos adoram os quitutes deliciosos que ela sabe preparar. Já faz parte da família. Trabalha com essa família há mais de vinte anos e não tem mais ninguém. oda tarde, na hora do lanche, lá vem Dona Naná com uma surpresa de lamber os dedos; canjica, doce-de-leite, pé-de-moleque, arroz doce, bolo, cda bolo recheado! Uma gostosura só!

Nenhum comentário: